O que o Governo do Estado está fazendo para atrair equipes da Copa de 2014 e das Olimpíadas 2016 para Santa Catarina - CREF3/SC - Conselho Regional de Educação Física de SC
Empresas que atuam com Ginástica Laboral vão se reunir no CREF3/SC
29 de junho de 2012
A importância do professor de Educação Física nas escolas
5 de julho de 2012

O que o Governo do Estado está fazendo para atrair equipes da Copa de 2014 e das Olimpíadas 2016 para Santa Catarina

Uma série de ações desenvolvidas pela Fesporte ao longo dos últimos 18 meses está colocando Santa Catarina no mapa da Copa do Mundo de 2014 e nas Olimpíadas e Paralimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. “O Estado não vai sediar nenhuma destas competições, mas estamos desenvolvendo um trabalho de intenso acompanhamento e contatos para servirmos de base para aclimatação e preparação das seleções e delegações participantes dessas competições”, relata o presidente da Fesporte, Adalir Pecos Borsatti. “Além de ganhos financeiros e projeção mundial de Santa Catarina, a presença de atletas no Estado vai alavancar a cultura esportiva no Estado”, acrescenta o dirigente.

Para o Mundial de 2014, o Estado tem instalações esportivas e hoteleiras de Florianópolis, Joinville e Balneário Camboriú habilitadas para servir de Centro de Treinamento das Seleções (CTS) antes ou durante a Copa do Mundo. Chapecó também inscreveu hotel e a Arena Índio Condá, que passarão por vistoria técnica no mês de julho. E para as Olimpíadas e Paralimpíadas de 2016, 16 locais distribuídos entre Balneário Camboriú, Blumenau, Brusque, Florianópolis e Palhoça estão aprovados pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e constarão do book que será distribuído pelo COB em julho, nas Olimpíadas de Londres, a representantes internacionais. O Estado é o quarto que mais oferece instalações esportivas para os Jogos de 2016, atrás apenas de São Paulo (46), Paraná (20) e do Rio de Janeiro, que será sede do evento e teve 32 instalações aprovadas.

 
Times definirão locais de aclimatação no final de 2013

Para atrair as seleções, a Fesporte, em nome do Governo do Estado, recebe e acompanha vistorias no Estado de representantes do Comitê Organizador Local (COL) da Copa, sediado no Rio de Janeiro, e dirigentes de seleções que disputam as Eliminatórias da Copa . No ano passado, representantes do COL vistoriaram estádios e hotéis e conheceram projetos visando ao Mundial e neste ano começaram as visitas dos dirigentes estrangeiros.

Em abril, representantes da Noruega visitaram Balneário Camboriú, Itajaí e Florianópolis; na segunda quinzena de junho, dirigentes da federação de futebol dos Estados Unidos (US Soccer) estiveram em Florianópolis e para julho está agendada a chegada de representantes do Japão em Florianópolis e Balneário Camboriú. “Eles trabalham com planejamento. Embora as equipes ainda estejam disputando as Eliminatórias, as federações já iniciaram os contatos”, observa Pecos.

A escolha dos centros de treinamento das seleções, no entanto, só deverá acontecer após o sorteio dos grupos da Copa, previsto para o final de 2013. “É claro que se um destas seleções for jogar no Norte ou Nordeste, não fará aclimatação no Estado. Mas com seleções jogando no Sudeste ou Sul, temos grandes chances”, diz o presidente da Fesporte.

 

Seminários mobilizam o Estado para os Jogos de 2016

 
Uma ação semelhante é desenvolvida para receber as delegações olímpicas e paralímpicas para o Estado em 2016. São muitos contatos e mobilização que começaram em 2011 com a realização de seminários em Florianópolis envolvendo dirigentes de municípios catarinenses – um deles, inclusive, com a participação do gerente do departamento de Esportes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Mauricio Waknin.

Esse envolvimento levou à inscrição inicial de 25 instalações esportivas em 12 cidades, que após triagem pelo COB, ficaram 16 locais de cinco municípios.  “Haverá reflexo na economia e no turismo local, além de o polo escolhido se transformar em ponto de referência e de desenvolvimento esportivo”, ressaltou Mauricio Waknin, quando esteve em março, em Florianópolis, palestrando para os dirigentes municipais.

No país foram consideradas aptas 172 instalações esportivas de 73 cidades. Os locais serão apresentados neste mês de julho a todos os Comitês Olímpicos Nacionais (CONs) e Comitês Paralímpicos Nacionais (CPNs) por meio de um guia online que será lançado durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres 2012. Caberá às delegações a escolha dos locais onde pretendem realizar o período de preparação às disputas.
 

Projetos e instalações e projetos inscritos até o momento em Santa Catarina para servirem de Centro de Treinamento de Seleções:

Avaí, Figueirense, Costão do Santinho Resort, em Florianópolis; Arena Joinville; Marcílio Dias, em Itajaí; Arena Índio Condá, em Chapecó (instalações ainda a serem vistoriadas); e Balneário Camboriú (projeto de construção de campos de treinamento)

 

Saiba mais sobre os Centros de Treinamento de Seleções da Copa 2014:

– Não existe subsede na Copa do Mundo da Fifa. Este termo é inadequado e não é sequer considerado pelo Comitê Organizador da Copa do Mundo da Fifa. A competição tem sedes (12 cidades escolhidas para receberem os jogos) e Centros de Treinamento de Seleções.

 – Os Centros de Treinamento de Seleções são locais que poderão servir como base de uma seleção durante a Copa do Mundo da FIFA. São compostos por um local de treinamento e um hotel oficial. Os locais que estão sendo visitados atendem a requisitos básicos, como distância para um aeroporto com capacidade de pouso para aeronaves de porte médio, distância do local de treinamento para um hotel com 55 quartos exclusivos, entre outros.

– Não existe limite de CTS para uma mesma cidade ou um mesmo estado. É levada em conta a qualidade técnica dos locais oferecidos. Uma mesma cidade pode ter mais de um CTS, enquanto outras poderão não ter nenhum.

– A análise dos técnicos do Comitê Organizador leva em conta mais de cem detalhes técnicos nos campos e hotéis. São considerados o sistema de abastecimento elétrico, de água, os acessos para as equipes e para a imprensa, local para realização de entrevistas, vestiários, demais instalações para os atletas, tipo de solo (é analisado o solo, não o gramado), drenagem, etc.

– A análise de um projeto é tão minuciosa quanto a de um campo já existente. E, a exemplo do que já aconteceu com os projetos dos estádios, são analisadas também as garantias financeiras de que o projeto estará pronto para a Copa do Mundo da Fifa.
 

Os locais selecionados em Santa Catarina para receber delegações olímpicas nos Jogos de 2016:
 

– CENTRO ESPORTIVO PROFESSOR OSWALDO HUSADEL – BALNEÁRIO CAMBORIÚ

– COMPLEXO MULTIEVENTOS – BALNEÁRIO CAMBORIÚ

– GINÁSIO BARRA MULTIEVENTOS HAMILTON LINHARES CRUZ – BALNEÁRIO CAMBORIÚ

– GINÁSIO DE ESPORTES GOVERNADOR IRINEU BORNHAUSEN – BALNEÁRIO CAMBORIÚ

– GINÁSIO DE ESPORTES SEBASTIÃO CRUZ – BLUMENAU

– GRÊMIO ESPORTIVO OLÍMPICO – BLUMENAU

– SESI – CENTRO ESPORTIVO BERNARDO WERNER – BLUMENAU

– ARENA BRUSQUE – BRUSQUE

– AVAÍ FUTEBOL CLUBE – FLORIANÓPOLIS

– CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE – FLORIANÓPOLIS

– CLUBE NÁUTICO FRANCISCO MARTINELLI – FLORIANÓPOLIS

– COSTÃO DO SANTINHO TURISMO E LAZER – FLORIANÓPOLIS

– FIGUEIRENSE FUTEBOL CLUBE – FLORIANÓPOLIS

– SOCIEDADE HIPICA CATARINENSE – FLORIANÓPOLIS

– UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA (UFSC) – FLORIANÓPOLIS

– COMPLEXO AQUÁTICO UNISUL – PALHOÇA

 

Informações adicionais:

Adalir Pecos Borsatti, presidente da Fesporte – (48) 3271-1848

Eduardo Correia, assessor de comunicação – (48) 8802-7742

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.