Tênis, shorts e camiseta. Pode não ser necessário um monte de adereços para alcançar o bem estar físico e mental atribuído à corrida. “É prático, é barato, é fácil. É um fenômeno mundial”, comenta o professor de educação física Norton Martins de Freitas. Mas, além de determinação para manter a prática, especialistas alertam que qualquer atividade física deve ser encarada como medicamento. Como todo remédio, a diferença está na prescrição e na dose. O Globo News Saúde falou com especialistas e mostra um guia para ajudar nos primeiros passos.

– Procure ajuda especializada. O cardiologista Claudio Gil Soares de Araujo, especialista em Medicina do Exercício, explica que as chances de sucesso são maiores quando a atividade é tem orientação. “Só um profissional especializado vai poder orientar qual é a dose certa”, diz.

– Escolha o tênis adequado. Sua pisada pode ser neutra, pronada – de quem pisa mais para dentro – ou supinada – no caso dos que pisam mais para fora. O calçado interfere no impacto.

– Use roupas apropriadas. O Dr. Araújo indica roupas que facilitem a troca de calor. “São os tecidos chamados ‘dry fit’, que absorvem calor e suor com facilidade”. Além disso, ele sugere o uso de shorts mais longos, para evitar o atrito entre as coxas.

 Comece caminhando. O professor de Educação Física Norton Martins de Freitas diz que, para quem está começando, o ideal é caminhar e aumentar a intensidade do exercício aos poucos. “Quando começar a correr, fazer isso com intervalos. Três vezes por semana. Trotar alguns minutos e caminhar outros”, explica.

– Cuide da técnica. Parece simples, mas existe uma técnica para correr. É isso que afirma o médico. Ele dá exemplos: “Se os seus pés estão fazendo barulho no solo, está errado. Significa impacto”; “A respiração correta é com a boca aberta. O nariz é um acessório para entrada e saída do ar. Deixe o corpo tomar controle do ar que ele precisa. Se você tentar fixar, você vai dificultar e não vai fazer bem feito”; “A coluna deve ficar reta. O braço é apenas para te equilibrar. O pé entra com o calcanhar e sai com a ponta do pé”.

– Fique atento à velocidade. “Como não temos quatro patas, ou a gente anda, ou corre”, comenta o médico. Ele explica que uma velocidade entre 6km/h e 8km/h é tecnicamente ruim para as duas atividades.

– Fortaleça a musculatura. “A musculação ajuda a evitar lesões. Complementa muito bem a corrida”, garante o professor.

– Dê atenção aos sinais. Se você se tomou os cuidados básicos e sente dores depois das corridas, informe seu médico. “Ignorar a dor pode evoluir para uma fratura de estresse”, alerta o professor.

Veja a a íntegra da reportagem do Globo News Saúde no vídeo

13 de junho de 2012

Globo News Saúde mostra um guia de corrida para amadores e iniciantes

Tênis, shorts e camiseta. Pode não ser necessário um monte de adereços para alcançar o bem estar físico e mental atribuído à corrida. “É prático, é […]
12 de junho de 2012

Rio+20 e esporte: evento paralelo debate sustentabilidade no setor

Entidades internacionais e nacionais do esporte vão se reunir no Rio de Janeiro, em 21 de junho, para debater a respeito da sustentabilidade na gestão e […]
1 de junho de 2012

Dia do Desafio reúne mais de 1,6 milhão de pessoas em SC

No total, 1.675.561 pessoas de 156 cidades participaram do Dia do Desafio em Santa Catarina. A campanha foi realizada nesta quarta-feira (30) pelo Serviço Social do […]
30 de maio de 2012

Reitores discutem participação das universidades em rede de esporte

A reunião mensal do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais (Cruep) debateu, nesta quinta-feira (15), o papel das universidades estaduais ao Sistema Esportivo Estadual. A Rede […]