Embora o marketing dos cuidados com o corpo diga que o começo da primavera é a hora de começar a entrar em forma para os meses de sol a pino, é no verão mesmo que as pessoas procuram as academias em busca de resultados rápidos. Segundo Kleber Pereira, presidente da Associação Brasileira de Academias (Acad), o número de alunos entre dezembro e março aumenta cerca de 30%.

De acordo com a Acad, o mercado fitness é dominado por pequenas e médias empresas. Ao todo, 95% das academias têm esse porte. Em 2011, o setor faturou R$ 2,2 bilhões – quase o dobro de ano anterior. Em contrapartida, a concorrência também aumentou: no ano passado, havia 18.195 academias em todo País, enquanto em 2010 esse número era de 15.551. Um dos motivos que favorece a concorrência acirrada é que apenas 2,8% da população estão matriculados em academias. “A consciência de que atividade física traz bem-estar ainda está no começo e disseminada com força apenas nos grandes centros”, explica Pereira.

Para vencer a concorrência nessa época, as academias oferecem atividades especiais. “É como a moda: em cada verão aparece uma novidade”, diz Pereira. Em 2012, ele conta que a aposta é nos exercícios funcionais, aqueles em que os alunos aprimoram movimentos usados no cotidiano, como agachar, empurrar e lançar, entre outros, para chegar ao peso ideal e modelar o corpo.

Para o empreendedor que deseja apostar nesse nicho, o presidente da Acad recomenda fazer um estudo de público profundo antes da abrir de começar. “É preciso saber, com exatidão, o que o a população em torno da academia deseja”, afirma. Outra dica é apostar em nichos específicos – como atividades exclusivas para idosos e para mulheres, por exemplo – para se diferenciar. “Mesmo com a concorrência grande, as academias são um bom negócio. Cada vez mais a saúde é valorizada. A mídia e também o governo incentivam a prática de atividades físicas, o que fortalece a consciência de que cuidar-se bem é essencial para ter qualidade de vida”, diz Pereira.

Entre os desafios que o dono de uma academia vai enfrentar está o de fidelizar os alunos, já que parte deles costuma abandonar a academia depois do verão. “Esse é um tema mundial. A retenção de matrículas não é uma questão exclusiva do Brasil”, enfatiza Pereira. Ele explica que não existe uma fórmula para resolver essa questão. “O que as academias podem, e devem fazer, é garantir que o atendimento tenha qualidade. E também explicar ao aluno que os exercícios não trazem apenas melhorias estéticas, mas principalmente qualidade de vida”, afirma.

Informações: Terra

16 de fevereiro de 2012

Verão impulsiona faturamento de R$ 2,2 bi do mercado fitness

Embora o marketing dos cuidados com o corpo diga que o começo da primavera é a hora de começar a entrar em forma para os meses […]
9 de fevereiro de 2012

Tem academia no seu prédio? Aproveite, mas tome cuidado para evitar lesões

As academias dentro dos condomínios não param de crescer. Atualmente, boa parte de novos empreendimentos preveem uma academia de ginástica. Até mesmo os prédios mais antigos […]
8 de fevereiro de 2012

Hemosc faz ação para não reduzir o número de doadores de sangue durante o verão

Tendo em vista a redução na doação de sangue durante o verão, o Hemosc alerta para a queda dos níveis de banco de sangue nos próximos […]
6 de fevereiro de 2012

Oportunidade: Rio 2016 seleciona Líderes de Competições Esportivas

Surge uma ótima oportunidade para o Profissional de Educação Física que quer participar diretamente da organização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. O Comitê Organizador […]